FONTE:https://www.megacurioso.com.br/arqueologia/102272-zumbis-medievais-corpos-eram-mutilados-para-evitar-a-volta-de-mortos-vivos.htm

De acordo com Maev Kennedy, do The Guardian, as evidências — da luta contra o possível apocalipse zumbi — foram descobertas depois de os arqueólogos avaliarem uma coleção de 137 fragmentos de ossos humanos. Os itens foram identificados como sendo de 10 indivíduos diferentes (cinco homens adultos, duas mulheres e três crianças pequenas) com idades entre 2 e 50 anos.

Guerra contra os mortos-vivos

Segundo Maev, as ossadas foram encontradas há mais de 50 anos nas ruínas do antigo vilarejo de Wharram Percy, no condado de Yorkshire, na Inglaterra, e foram datadas entre os séculos 11 e 14. Depois de avaliar as marcas de queimadura presentes nos ossos e a forma como eles foram cortados, os cientistas concluíram que aquelas pessoas não haviam sido vítimas de um massacre ou canibalizadas.

Cadáveres com sinais de canibalismo já foram achados em outros sítios arqueológicos da Inglaterra — prática que não era incomum durante períodos de fome —, mas, nesses casos, os ossos geralmente mostram marcas de corte próximo às juntas. Os sinais observados agora são diferentes e parecem indicar que os corpos foram desmembrados após a morte.

Curiosamente, existem várias “receitinhas” da Era Medieval sobre como lidar com os mortos-vivos, como desenterrar os corpos, decepar suas cabeças e torriscar seus ossos. As pessoas da época acreditavam que esses pobres defuntos eram sujeitos amaldiçoados, ou que tinham sido malvados mesmo, e que eles ainda guardavam rancor pelos que continuavam vivos — e podiam voltar para espalhar doenças ou a morte. Sinistro, né?

Deixe uma resposta

Fechar Menu